Slide1 Slide2 Slide3 Slide4 Slide5 Slide6 Slide7 Slide8

Anúncios

Imagem  —  Publicado: junho 24, 2013 em Uncategorized

COMPARTILHANDO ALGO QUE LI !!!

Publicado: junho 1, 2012 em Reflexão

Image

DEVEMOS CRIAR NOSSOS FILHOS AO EXEMPLO DOS ABACAXIS

*Por Karine Rizzardi

Você tem idéia de qual região do Brasil você encontra os abacaxis mais doces? E qual região você acha os mais ácidos? Eu não entendo muito bem dessa área, mas fui atrás a título de curiosidade e descobri que os abacaxis do Maranhão são considerados os mais doces do país. A pergunta é: Por que? O que os abacaxis de lá tem de diferente dos daqui?

A resposta é algo interessante: Lá tem escassez de tudo. Há falta de água da chuva, há excesso de calor, pouca umidade e isso obriga o abacaxi a se proteger e se superar, o que o torna ainda mais gostoso de ser ingerido.

Os abacaxis daqui do sul, já são opostos dos de lá. Aqui tem chuvas temperadas e um ambiente agradável e com solo nutritivo. Como resultado, nossos abacaxis são mais ácidos e não tão saborosos.

Essa breve explicação me faz comparar os abacaxis com os filhos. Eles tem tudo a ver com o sabor dessa fruta. Percebo que quanto mais os pais confiam nas potencialidades deles e os forçam a explora-las sem ficar superprotegendo e nem poupando-os dos desafios, mais esses filhos se dão melhor na vida. Para comprovar essa realidade é só observar a diferença de personalidade entre os irmãos.

Percebo nitidamente que os filhos mais poupados são os que menos exploram suas forças. Eles até tem uma auto imagem mais frágil, como se dependessem dos outros para superar seus próprios medos.

A imagem que os filhos tem de si mesmos, são compatíveis com a maneira que os pais os vêem. Se você acha que seu filho é um abacaxizinho que precisa sempre estar nas melhores terras, com os mais fortes nutrientes e sempre com a chuva vinda ao seu tempo, é muito provável que ele sempre será aquele abacaxi mais difícil de comer.

Mas porque a natureza é assim?

A resposta é simples: Porque nós temos um oceano de habilidades pessoais que precisamos descobrir sobre nós mesmos e muitas vezes elas só se tornam conhecidas mediante a situações difíceis pelas quais passamos. Por isso não podemos ter medos dos desafios, mas o que precisamos é encorajar nossos filhos a saber como podem chegar mais longe.

Devemos olhar nossos filhos como os abacaxis do Maranhão, não como os do sul. No entanto, lembre-se que isso não tem nada a ver com o amor. O amor deve estar presente em todas as situações e momentos, mas a superproteção não, pois assim como o solo não protege os abacaxis mais doces, os pais que realmente acreditam em seus filhos também não precisam protegê-los daquilo que eles sabem que vão conseguir superar.

Porquê Orar?

Publicado: abril 3, 2012 em Reflexão

Algumas pessoas oram por anos e não têm os seus anseios atendidos. Outros vêem o resultado imediatamente. Aparentemente, não há uma lógica sobre este tema. Deus gosta mais de algumas pessoas do que de outras? Afinal, se Ele sabe de tudo, por que precisa de nossos apelos?

Na verdade, Deus não necessita de nossas orações. Porém, ao nos prostrarmos perante o Criador, admitimos para nós mesmos que somos incapazes de controlar nossa própria vida e suas circunstâncias. Passamos a desenvolver a humildade para reconhecermos que o nosso Pai nos mantém e nos guia, quando depositamos nossa confiança em Suas mãos.

Quando Daniel clamou a Deus por entendimento, foi-lhe revelado que “assim que ele começou a orar, houve uma resposta” (Daniel 9:23). Não é diferente para as nossas orações nos dias atuais, Deus sempre responde de alguma maneira. Porém nem sempre temos a humildade de aceitar algo que vai contra os nossos desejos.

Ao deixarmos Deus dirigir nossa vida, Ele nos revelará Seu poder nas pequenas e grandes questões. “Feliz é o homem a quem Deus corrige” (Jó 5:17). Podemos escolher dois caminhos: ou nos abatemos com as dificuldades ou renovamos nossa esperança no Senhor, para que Ele nos conduza a uma vida plena de sabedoria, fé e perseverança, com firmeza de princípios e de caráter.

Se arrependimento matasse…

Publicado: outubro 8, 2011 em Reflexão

Aquele dia amanhecera com outro qualquer na vida do casal, tudo perfeito e em ordem
como sempre fora até então, não havia um só motivo para a tristeza ou
preocupação. Mal sabiam, porém, que, em breve tudo mudaria, a calma, paz e
tranquilidade da manhã, dariam lugar um profundo sentimento de medo, angústia e
terror. Em poucas horas a alegria daria lugar à tristeza, a confiança daria
lugar ao medo a doce expectativa pela chegada de ilustre visitante, agora se
transformara em pavoroso medo, medo que os levou a se esconder. Este era o pior
dia da vida de Adão e Eva, o dia em que desobedeceram ao Eterno.

Tudo perdido por apenas uma triste escolha. Poucos minutos de prazer e uma vida
inteira para se arrepender. Haviam sido alertados do perigo que os rondava,
haviam sido aconselhados, mas, como qualquer ser humano, confiaram tanto em si
que deixaram os conselhos do Criador de lado. O desejo de satisfação própria
levara-os à ruína e miséria. Uma coisa totalmente nova e desconhecida para
eles, agora faria parte do seu cotidiano por todos os dias, o pecado e seus
efeitos.

Não importa que horas seja agora ou quanto do seu dia tenha transcorrido, você terá
escolhas a fazer, e o Criador espera que escolha corretamente. Seja qual for a
sua escolha, você colherá os frutos da mesma, portanto, faça a melhor escolha
possível e colha os melhores frutos possíveis.

Não viva uma vida se arrependendo de suas escolhas, priorize o que precisa ser
priorizado! As vezes a verdade dói demais, mas ela é necessária para o nosso
Crescimento e Aperfeiçoamento! Lembre-se que Deus tem sempre o Melhor! E todos
nós precisamos ter humildade para reconhecermos nossa condição perante Ele.
Deus nos confronta porque Ele nos ama!

Paz e Bençãos,

Não Perca nesta próxima Quarta-Feira!

Publicado: fevereiro 21, 2011 em Anuncios

O que é a morte? O que acontece quando alguém morre?  Venha traga sua Biblia e um caderninho com uma caneta para estudarmos sobre esse assunto tão importante! Traga todas as suas dúvidas e vamos crescer juntos através do que a Palavra de Deus nos diz!

Nosso endereço: Av. Pedro Miranda, 650 (Entre Cantinho do Caldo e loja Quase tudo para o Bebê, próx. Humaita) Bairro: Pedreira

Contatos: (Falar c/ Pastor Andrey Quadros)

(91) 8705-0688 / (91) 3254-3427

Protegidos no Deserto

Publicado: fevereiro 16, 2011 em Reflexão

“E o Senhor ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite”. Êxodo 13:21

Bom dia queridos! No contexto deste texto Bíblico, nosso Maravilhoso Deus levava Seu povo para a Terra Prometida. A princípio, pode parecer muito estranho o povo de Deus estar numa situação desta, pois se Deus é amor e o Criador de todas as coisas, porque não tornou a vida do Seu povo menos difícil? Por que não “criou” um caminho que não passasse pelo deserto, já que deserto é símbolo de sequidão, aridez, desconforto, dificuldades, etc.? No deserto a temperatura pode variar de 50 – 80° de dia para 0° à noite. Se lembrarmos, porém, que De dia Ele era uma nuvem que se interpunha entre eles e o Sol escaldante, de tal modo que caminhassem à Sua sombra, à noite, era uma coluna de fogo, que os aquecia com Seu calor, podemos ver o amor de Deus por Seu povo.

Apesar de caminharem pelo deserto, Deus tomou todas as providências para que a jornada do Seu povo fosse o melhor possível. Tudo isto mostra quão detalhista Ele é, pensa em tudo, em seus mínimos detalhes, nada Lhe escapa ao controle. Portanto, lembre-se, no momento em que as provas forem fortes, quase a lhe “derreter” o espírito, tirar-lhe o ânimo, Deus será a sombra que tornará o ambiente agradável, Ele te guarda, te protege, quando as provas forem duras ao ponto de lhe enrijecer e querer paralisar, Deus o aquecerá para que prossiga em sua jornada!

Amado(a) se você estiver passando pelo deserto, não pare, não desista! Lembre-se do que a Palavra de Deus te diz: “porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares” (Josué 1:9).

Tenha um lindo dia, apenas siga-O e deixe o restante em Suas mãos.

Paz e Bençãos,

Homens Invisiveis

Publicado: fevereiro 15, 2011 em Reflexão

 No domingo passado na EBD (ESCOLA BIBLICA DOMINICAL), tivemos uma reflexão que uma das piores coisas que podem acontecer a alguém é ser ignorado, é fazermos de conta que o nosso próximo não existe, ou nós mesmos não sermos notados. E podemos até chegar a acreditar em uma mentira do inimigo das nossas almas, vindo a sensação que temos muitas vezes de estarmos sendo ignorados pelo próprio Deus.

 Aproveitando o gancho, lembrei da pesquisa feita pelo psicólogo Fernando Braga da Costa. Sua tese de mestrado relata o que ele viu após passar cinco anos como gari na Cidade Universitária, em São Paulo, e o que ele viu foi que ninguém o via. Sim, pelo menos quando com o uniforme de trabalho como gari.

 Muitas vezes ele varria o chão bem em frente à faculdade de psicologia, onde dava aulas, e por ele passavam alunos, colegas e funcionários sem o notar de forma alguma. Um exemplo contundente ele conta quando certo dia um dos colegas garis sugeriu irem almoçar no bandejão da USP. Ele entrou, então, na faculdade de psicologia para ir buscar dinheiro em seu armário, só que estava uniformizado. Entrou, subiu escadas, percorreu os longos corredores, passou em frente à lanchonete, à biblioteca, fez todo o caminho inverso, cruzou com dezenas de pessoas a quem conhecia muito bem, mas ninguém notou sua presença. E o que sente alguém que não existe para as outras pessoas? Ele responde: “Eu tive uma sensação muito ruim. O meu corpo tremia como se eu não o dominasse, uma angústia, e a tampa da cabeça era como se ardesse, como se eu tivesse sido sugado. Fui almoçar, não senti o gosto da comida voltei para o trabalho atordoado”.*

 Não sei quanto a você, mas ao ler isso eu não consegui deixar de sentir uma culpa imensa. Minha tendência quase irresistível de rotular pessoas, de as colocar em vidros separados para meu conforto pessoal, minha segurança, faz com que haja nas ruas e aqui no bairro em que moramos, não pessoas, mas a classe garis, a classe faxineiros, como existe também a classe muito ricos, a classe feios, a classe estranhos, a classe insignificantes, enfim, milhares de classes. Jamais pessoas. Algumas dessas classes exigem que eu as note e lhes diga bom dia, outras eu posso ignorar completamente. Algumas exigem que eu me aproxime, mas outras permitem que eu fique confortável, de longe, só acenando com a cabeça.

 Quanto mais tomo consciência de minha própria vileza, mais me admiro da pessoa de Jesus Cristo, para quem ninguém era invisível. Ele notava a todos. Notava a mulher encolhida no meio da multidão, pensando em tocar Suas vestes sem causar alarde. Notava o traidor cobrador de impostos. Notava a samaritana junto ao poço, o arrogante e rico moço, notava alguém como Pedro, mas também alguém que provavelmente não chamasse tanta atenção assim, como Natanael, que orava embaixo de uma figueira. O mais impressionante, contudo, foi Ele um dia haver notado a mim. O poder de Seu olhar sobre mim, o calor de sua declaração de amor queimando em meus ouvidos e meu peito, me fizeram sentir visível de uma forma que eu jamais havia sentido. Me mostraram que eu existo de fato para Alguém que poderia muito bem tocar minha vida sem perder tempo com algo tão minúsculo.

 Hoje, ao lembrar disso tudo, ouvi Sua voz dizendo: “vá lá e faça o mesmo”. Senhor, dá-me teus olhos, para que eu veja como tu vês.

 Reflita e tenha um lindo dia!